Você está aqui: Página Inicial Verso e prosa Poesia Inconsequência

Inconsequência

INCONSEQUÊNCIA

 

Do grilo da meia-noite

ao grifo do meio-dia;

da glória do infinito

à gosma do princípio;

da luz que treme frouxa

à borboleta que dança o desespero.

 

Das mil e uma noites

do Oriente próximo,

que despontam

de um passado morto,

de um passado pouco,

entre as malhas do perdido,

bate a bandeira do fastio,

bate a morte, bate a vida,

os rostos se travestem

de multidão,

acesos pela lâmpada elétrica.

 

Ações do documento
« Julho 2019 »
Julho
DoSeTeQuQuSeSa
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031