Você está aqui: Página Inicial Verso e prosa Poesia Casa de penhores

Casa de penhores

CASA DE PENHORES

 

Especialmente a ti,

gênero humano,

dedico um trabalho insano:

sou senhor da casa de penhores.

Tuas passadas marcam

atalhos tortos,

atulhados

da tua ausência.

A tua sina dorme em ti.

Que te instigue a minha gargalhada

e perdoa a insistência.

Também arrasto tréguas inúteis.

 

Ações do documento
« Novembro 2019 »
Novembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930