Você está aqui: Página Inicial Verso e prosa Poesia Ausência

Ausência

AUSÊNCIA

 

Onde, o conforto do teu corpo?

Eu o perdi. Não de repente,

Mas como se murchasse.

Fiquei então larga

Na azia dessa ausência.

Seu corpo, que vejo opaco,

Atravesso com os olhos.

Há um tecido de areia entre você

E minhas mãos inertes.

Ardo a garganta em gritos sussurrados

Sem alcançar você, que está aqui.

 

Ações do documento
« Julho 2019 »
Julho
DoSeTeQuQuSeSa
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031