Você está aqui: Página Inicial Verso e prosa Poesia Aleph

Aleph

ALEPH

 

A porta, quadro de luz que você recorta

Na sala deserta exceto por mim, quieta

Mas alvo: seu interesse é silêncio e claro

Norte da minha atenção, fio da minha sorte

Eu contemplo e sorvo a vida que você agita

Na alegria nívea do seu sorriso de menino

E no bronze puro da sua pele de homem

Seu olhar cumplicia sua voz ao modular

Cada naco da mais vaga das palavras

A porta é então comporta, queda d’água

A sala é agora lago imenso, densa mata

E você, molécula volátil que me invade

Os poros do corpo, e o espírito incorpora

Essa alquimia em que química é magia

 

Ações do documento
« Novembro 2019 »
Novembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930