Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Verso e prosa Poesia

Poesia

Page O parto do tempo
 
Page Poema onírico
 
Page Por 2010
 
Page Anacronismo
 
Page Dose diária
 
Page Marcinha
 
Page Ouvidor
 
Page Noctívaga
 
Page Desarranjo
 
Page Vertigem
 
Page Desescritura
 
Page Pedido
 
Page Perspectiva
 
Page Abraço
 
Page Plenilúnio lusitano
 
Page Rose
 
Page Agenda de sentimentos
 
Page 2008
 
Page Sertão estrangulado
 
Page Viagem
 
Page Elegia da dor
 
Page Não
 
Page Amor
 
Page Assim
 
Page Aleph
 
Page Ausência
 
Page Beijo
 
Page Férias de meio de ano
 
Page Aos cuidados do teu amor
 
Page Poema deduzido
 
Page Ensaio I
 
Page Lourinha
 
Page Lugar-comum
 
Page Despedidas
 
Page Encantamento
 
Page Poema mudo
 
Page Aquela mulher
 
Page Arquivo secreto
 
Page A descoberta
 
Page Desígnio
 
Page Inconsequência
 
Page Indiscrição
 
Page Interlóquio
 
Page Jornada
 
Page Ladainha
 
Page Canção para um amor natimorto
 
Page Casa de penhores
 
Page Sensaboria
 
Page Carta antiga
 
Page Meu sonho
 
Page Votos ao futuro
 
Page Água
 
Page Para quando nada houver
 
Page Embaraços
 
Page Programa noturno
 
News Item Em 2011
A viagem não depende da estrada; Ela escapa e abre seus caminhos. O destino da vida é viajar. Mudar a paisagem de dentro Num momento muda tudo. O mundo nunca pede pouco E tesouros são bens ocultos No fundo da alma, onde achar É voltar sempre a se perder.
File Lumiar
LUMIAR Será que você tem sal? Será que também cheira a erva? Que medidas o seu abraço abarca? O gosto da sua boca é doce? É de fruta? Caramelo? Qual a textura do seu cabelo? Onde é que você tem pelos? Sigo os seus gestos, adivinho os seus afetos na vigília, ao dormir, ao acordar. Delineio você, figura alta e ereta, embalando sonhos, debulhando a vida que eu, antena sensível nesse tanto de distância, passo os meus dias a imaginar...
File Ontem
Ontem Ficamos falando da vida como se a morte não fosse irmã O gosto de frutas parecia pungente na boca E pulávamos regatos, quase infantes de fábulas renascentistas Sua mão se atrevia, sua língua, seu falo Tudo na sua fala feita matéria, cheiro e gosto Isso foi ontem? Para mim, seria hoje Não fosse sua ausência imensa A barulhar na minha cama vazia
Page 2012
Concedam-se dúvidas ao ano que começa
Page Sobre o silêncio e o sal
Lidar com a morte em vida
Page Poeminha
Publicado direto no Facebook
Ações do documento
« Setembro 2017 »
Setembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930